Síndrome pré-menstrual: o que é, como funciona e como afecta o teu ciclo

Síndrome pré-menstrual


A Síndrome Pré-Menstrual, abreviada para SPM, é algo que afeta muitas mulheres em todo o mundo, de todas as idades. Confere tudo o que precisas de saber sobre a SPM.

A maioria das mulheres já sentiu sintomas de SPM, algumas mais intensamente do que outras. A Síndrome Pré-Menstrual não é uma doença, mas pode ser bastante intensa e incapacitante até, durante alguns dias, pelo que deve ser levada muito a sério.

O que é a Síndrome Pré-Menstrual?

A síndrome pré-menstrual é um conjunto de sintomas que as mulheres podem sentir nos dias ou semanas antes de menstruarem. Os sintomas não são os mesmos em todas as mulheres e também podem variar de mês para mês. Alguns sintomas comuns são:

Sintomas físicos de SPM:

  • Cãibras;
  • Tensão mamária;
  • Barriga inchada;
  • Pele oleosa ou com acne;
  • Cabelo gorduroso;
  • Problemas digestivos;
  • Dores de cabeça;
  • Alterações na libido;
  • Cansaço e dificuldade em dormir;
  • Diminuição ou aumento do apetite;
  • Obstipação ou diarreia;
  • Dores nas costas;
  • Afrontamentos ou suores frios;
  • Sensação geral de estar doente.

Sintomas emocionais e psicológicos de SPM:

  • Ansiedade, irritabilidade, tristeza;
  • Alterações de humor;
  • Depressão;
  • Problemas de concentração;
  • Autoestima baixa;
  • Transtorno emocional, ou sensação de colapso mental;
  • Dificuldade de coordenação e fraca memória.

Sim, esta lista é enorme. Nós sabemos. Se algum dos sintomas de SPM for “demais” como dor intolerável, mudanças de humor muito violentas, cansaço debilitante, ou qualquer coisa que dificulte seriamente o teu dia-a-dia, procura aconselhamento médico. Podes (e deves) procurar ajuda médica se os sintomas de SPM forem demasiado intensos – podes sofrer de transtorno disfórico pré-menstrual, que é uma forma extrema de SPM.

Por que é que temos Síndrome Pré-Menstrual?

Infelizmente, a SPM ainda é um bocado um mistério. Ainda não se sabe por que é que as mulheres passam pela Síndrome Pré-Menstrual, mas o consenso é que está fortemente ligada a todas as alterações hormonais brutais que ocorrem no corpo durante a menstruação.

Como sabes, as hormonas têm um impacto grande no corpo humano e algumas mulheres são mais suscetíveis que outras. Na verdade, algumas mulheres com muita sorte não chegam sequer a ter sintomas ligeiros de SPM! Sortudas!

Como é que a Síndrome Pré-Menstrual afeta o teu ciclo?

Na verdade, a SPM não afecta o teu ciclo menstrual. O teu ciclo está provavelmente a causar a SPM, ora pensa: Todos os meses, um camião de hormonas é despejado no teu organismo; estas hormonas têm muitos efeitos – e alguns não são assim tão bons. Mas felizmente, assim que te vier o período, os sintomas devem acalmar ou mesmo desaparecer. Os contraceptivos hormonais podem ajudar com alguns dos sintomas, especialmente os físicos.

O que fazer (e não fazer) para aliviar os sintomas de SPM?

Faz exercício regular

Fazer exercício físico regular é ótimo para a tua saúde – tanto física como mental. E quando se tem SPM ainda mais! Há muitos benefícios no exercício durante o período ou SPM!

Faz uma alimentação saudável

Sim, nós sabemos. Quando estás com SPM ou com o período só te apetece é comer coisas nada saudáveis. A nós também. Mas sabes? Não sejas demasiado rígida! Aquele chocolate que estás a pensar não é exactamente saudável, mas, vá lá, tu mereces. No entanto, lembra-te que os alimentos gordurosos e processados podem piorar os problemas digestivos, o inchaço, o acne, e outros. Confere que alimentos deves comer no período.

Bebe muuuuita água

Haha, sim, sorrateiros, conseguimos incluir água aqui! A água é literalmente vida! Mantem-te hidratada sempre, e especialmente quando estiveres com Síndrome Pré-Menstrual. Beber 1,5 a 2 litros de água por dia vai mudar seriamente a tua vida. E a tua pele. E o teu cabelo. E o teu humor.

Respira fundo e tenta relaxar

É mais fácil dizer do que fazer, mas vale a pena insistir. Tenta perceber o que funciona para ti. Yoga? Meditação? Uma noite com amigos? Uma noite com a tua cara-metade? Netflix & chill? Além disso, tenta remover fontes de stress da tua vida (difícil, sabemos). E previne-te com tampões ou pensos para não seres apanhada de surpresa – cria uma Period Box Clementine! Entregue mensalmente à tua porta.

Analgésicos podem ser uma opção

Algumas mulheres sentem muitas dores durante a SPM e durante o período, e precisam tomar analgésicos leves. Se procuras remédios mais naturais para dores de período, confere esta lista.

Acompanha o teu ciclo

Embora não alivie exactamente os sintomas, uma aplicação de rastreio de período pode-te ajudar a estar mais preparada. Outra coisa te pode ajudar indiretamente é manter um diário do período e ir anotando os sintomas e o nível de intensidade, para o caso de precisares de o mostrar ao teu médico de família ou ginecologista.

Take good care, of Yourself. Of your planet. Of your vagina.

3 Respostas

exidwiche

exidwiche

junho 23, 2022

order online[/url] Find Doryx Express Delivery Mmnsqh Cialis Jxztom https://newfasttadalafil.com/ – buying cialis online reviews Vareqz
tcsindustryi

tcsindustryi

abril 11, 2022

oritavancin, sold under the brand name orbactiv, is a novel semisynthetic glycopeptide antibiotic medication for the treatment of serious gram-positive bacterial infections. its chemical structure as a lipoglycopeptide is similar to vancomycin.

the u.s. food and drug administration (fda) and the european medicines agency (ema) have approved oritavancin for treatment of acute bacterial skin and skin structure infections.

in vitro activity
oritavancin shares certain properties with other members of the glycopeptide class of antibiotics, which includes vancomycin, the current standard of care for serious gram-positive infections in the united states and europe. it possesses potent and rapid bactericidal activity in vitro against a broad spectrum of both resistant and susceptible gram-positive bacteria, including staphylococcus aureus, mrsa, enterococci, and streptococci. oritavancin was more active than either metronidazole or vancomycin against strains of clostridium difficile tested.

oritavancin has potential use as a therapy for exposure to bacillus anthracis, the gram-positive bacterium that causes anthrax, having demonstrated efficacy in a mouse model both before and after exposure to the bacterium.

mechanism
the 4’-chlorobiphenylmethyl group disrupts the cell membrane of gram-positive bacteria. it also acts by inhibition of transglycosylation and inhibition of transpeptidation.

tcsgroupv

tcsgroupv

março 28, 2022

, sold under the brand names protopic and prograf among others, is an immunosuppressive drug. it is used after allogeneic organ transplant to lower the risk of organ rejection, and also as a topical medication in the treatment of t-cell-mediated diseases such as eczema and psoriasis. it also used for severe refractory uveitis after bone marrow transplants, exacerbations of minimal change disease, kimura’s disease, and the skin condition vitiligo, and it is used to treat dry eye syndrome in cats and dogs.

tacrolimus inhibits calcineurin, which is involved in the production of interleukin-2, a molecule that promotes the development and proliferation of t cells, as part of the body’s learned (or adaptive) immune response.

chemically, it is a macrolide lactone that was first discovered in 1987, from the fermentation broth of a japanese soil sample that contained the bacterium streptomyces tsukubaensis.

medical uses
organ transplantation
it has similar immunosuppressive properties to ciclosporin, but is much more potent. immunosuppression with tacrolimus was associated with a significantly lower rate of acute rejection compared with ciclosporin-based immunosuppression (30.7% vs 46.4%) in one study. clinical outcome is better with tacrolimus than with ciclosporin during the first year of liver transplantation. long-term outcome has not been improved to the same extent. tacrolimus is normally prescribed as part of a post-transplant cocktail including steroids, mycophenolate, and il-2 receptor inhibitors such as basiliximab. dosages are titrated to target blood levels.

ulcerative colitis
in recent years,[when?] tacrolimus has been used to suppress the inflammation associated with ulcerative colitis (uc), a form of inflammatory bowel disease. although almost exclusively used in trial cases only, tacrolimus has shown to be significantly effective in the suppression of flares of uc.

skin

tacrolimus 0.1% ointment
see also: medications used in treatment of eczema
as an ointment, tacrolimus is used in the treatment of eczema, in particular atopic dermatitis. it suppresses inflammation in a similar way to steroids, and is equally as effective as a mid-potency steroid. an important advantage of tacrolimus is that, unlike steroids, it does not cause skin thinning (atrophy), or other steroid related side effects.

it is applied on the active lesions until they heal off, but may also be used continuously in low doses (twice a week), and applied to the thinner skin over the face and eyelids.[citation needed] clinical trials of up to one year have been conducted. recently it has also been used to treat segmental vitiligo in children, especially in areas on the face.

lupus nephritis

tacrolimus has been shown to reduce the risk of serious infection while also increasing renal remission in lupus nephritis.

Deixe um comentário

Procurar

Portuguese (Portugal)